Adicionem seus lembretes!

A série Amores em Kent retorna ao blog a partir do dia 15/07! Venha acompanhar a história de Nathaniel McFadden nos Estados Unidos da América e descobrir o que aconteceu com seu irmão mais novo. Sinopse postada aqui no dia 01/07.

Continuar lendo Adicionem seus lembretes!

Amores em Kent é da Editora Freya!

Já anunciei a todos os ventos nas redes sociais - na verdade, o anúncio oficial vem da editora, não é mesmo? - mas estou aqui para contar no blog, também. Depois de muitos pedidos de livros físicos e de não conseguir atender a todas as leitoras a contento, busquei uma editora para ser a casa da série Amores em Kent e a Freya demonstrou interesse em meus lordes, damas, plebeus e governanta rsrsrs. Em breve a editora deve informar as datas de início da pré-venda dos livros impressos e dar mais notícias sobre tudo. Essa não é minha primeira experiência…

Continuar lendo Amores em Kent é da Editora Freya!

Vestidos do final do Século XIX

Olá, leitoras! Como a maioria dos livros de época que leio se passam pela metade do Século XIX, muitas leitoras ficam com vestidos belíssimos - porém super armados como referência de modelitos. Mais ou menos assim, não é mesmo? Só que a série Amores em Kent se passa em outro período, mesmo que na mesma época Vitoriana. As tramas envolvendo meus duques, condes e outros nobres se passa na última década do Século XIX, e nessa época a moda feminina era sensivelmente diferente, pois não havia toda essa armação nas saias. As mulheres tinham uma aparência um pouco menos... bufante!…

Continuar lendo Vestidos do final do Século XIX

Direitos das mulheres casadas na Inglaterra do Século XIX – A Married Women Property Act de 1882.

Na maioria dos romances de época que tenho lido ultimamente, as autoras se esforçam para descrever mulheres destemidas, lutadoras e inconformadas com as regras do período histórico em que viviam. Muitas lutam contra essas regras, da forma que conhecem, e acabam por encontrar homens - e amigas - que as compreendem e as permitem ser como elas realmente são. Infelizmente, essa é a ficção, que nos permite sonhar que, talvez, pessoas como essas existissem há quase dois séculos. Na realidade, mulheres eram objetos para os homens. Elas eram submetidas a seus pais, depois a seus maridos. Na ausência de pais,…

Continuar lendo Direitos das mulheres casadas na Inglaterra do Século XIX – A Married Women Property Act de 1882.

Os bastardos na era vitoriana

Em todos os meus livros eu lido com a situação dos filhos ilegítimos, os conhecidos bastardos. No primeiro, Um Duque para Chamar de Meu, essa era uma das maiores preocupações de Elizabeth. Ela sabia o que passavam as crianças bastardas e preferia qualquer coisa a ter um filho ilegítimo. Depois, em Um Conde para Curar meu Coração, Lady Agatha enfrenta de perto a situação das crianças nascidas fora de um casamento legal. Em A Sobrinha do Marquês essa questão é trazida de forma menos relevante, mas, ainda assim, povoa o imaginário dos protagonistas. Recentemente a Harlequin lançou o terceiro livro…

Continuar lendo Os bastardos na era vitoriana

John Stuart Mill e sua obra feminista

No livro A Sobrinha do Marquês, Caroline Eckley menciona dois livros que foram fundamentais para ela: A Vindication of the Rights of Women, de Mary Wollstonecraft e The Subjection of Women, de John Stuart Mill. Eu li essas duas obras durante meu doutorado e recomendo ambas para quem deseja entender sobre feminismo e a luta das mulheres por direitos. No post de hoje, falaremos de John Stuart Mill e do livro The Subjection of Women, uma obra de sensibilidade ímpar que Caroline lê para Isaac na biblioteca. John Stuart Mill nasceu na Inglaterra em 20 de maio de 1806. Foi…

Continuar lendo John Stuart Mill e sua obra feminista